Bar do Caçapa

 

“Selminha, ontem, falando de boteco num comentário ao trabalho do Paulinho, lembrei-me deste samba que meu parceiro, Roberto, e eu, compusemos há algum tempo. Confira aí. Não deixa de ser chegadinho, engraçadinho. Pergunte ao Luiz se ele já frequentou bar tipo do Caçapa. Se você gostar, fica sendo minha “intervenção” de amanhã. Abaixo, letra e música.
Abraço,
José do Carmo”

Pergunto eu: o que é esse Bloghetto, geeeente!

[audio:http://www.bloghetto.com.br/wp-content/uploads/2013/05/BardoCacapa.mp3]

As coisa acontece, os fato se passa, mas ninguém se toca,

Ninguém se apercebe, num bota sentido

E esse boteco abarrota !

*******

Magina que o Néca, foi daqui com uns pobrema, de ingerir carne assada,

Tá com azia, gastura, arrilia nos dente

E as ideia, completamente abalada.

*******

Falemos pra Glória, que tá ficando com ele, ela tá arrasada,

Diz que uns dias pra cá o Néca na cama, coitado,

Também num dá nada.

 *******

Mas o culpado é o Caçapa, que num faz sepicía, jamais neste bar,

É ratazana, é mosquito, percevejo, barata,

Urubu vai baixar.

 *******

Afora os micróbio, que a gente num enxerga  mas sabe que existe,

Ninguém lava as mão, a cozinha é um lixão,

“W C”, que fedô, coisa triste!

*******

Mas Caçapa faz graça, diz que certas doenças, são coisas da vida:

-“Vaca veia a palito, muitas vez num combina

Com certas bebida…”

*******

Mas num falaram pra ele que as questã  de saúde

Costuma dar cana,

A fofoca tem asa, eles fecham  esse bar

E nóis, ó! , que se dana.

 *******

Pe-la-môr-de-Deus, Caçapa, faz faxina  semanária

Que eu trago sabão, aguarrás, creolina

E a água solitária…

₪₪₪₪₪₪₪₪₪₪₪

(Letra: Zé do Carmo  — Música e performance: Roberto Souza)

 

18 pensou em “Bar do Caçapa

  1. Pérolaaaaa!!!!!! Água solitária é demais!!!!!
    Entaõ quer dizer q/ esse senhor da foto…. c/ pinta de embaixador do Brasil na Suíça…….. ainda é compositor?!?

    Amei o sambinha!!!!!

    Zé & Roberto, tel. de contato e nome do empresário.

    Bjkts

  2. Espetacular, José do Carmo! Letra e música que Adoniram Barbosa assinaria, certamente!
    O Bloghetto tem andado um luxo, Selminha! Vivo falando nele…
    Bjim

  3. Zé do Carmo, só não digo que me surpreendi com sua veia musical porque sei dos seus múltiplos talentos.

    Digo, porém, sem exagero algum, que Adoniran (como já disse Matilde) e Vanzolini assinariam essa canção. E se me dissessem que era de um deles, acreditaria de pronto.

    O parceiro Roberto Souza manda bem demais!

    Na caçapa!!!

    Grande abraço aos dois

  4. Engraçadíssimo, adorei! O que existe de bar assim por aí não está no gibi. De vez em quando bate a fiscalização. Dizem os entendidos que são os melhores salgadinhos… será???
    Bj,
    Tita

  5. GENIAL!

    José, o bar do Caçapa lembra, guardando as devidas proporções, um boteco daqui, famoso pelos bolinhos de bacalhau feitos na hora, à vista do freguês. O chope é dos deuses! Sucede que o dono lusitano, ao pegar as porções para fritar, exibe unhas tão pretas, mas tão pretas, que a gente só não desanima porque não existe bolinho igual na face da Terra. É daquele crocante por fora… humm, humm…

    Parabéns, José e Roberto! Quero mais.

  6. Selma, que samba delicioso… acompanhado de uma cerveja com churrasco ou feijoada, então, fica melhor ainda. Bem à mineira.
    Beijoca!

  7. Reinações do Zé… E ainda em dúvida se eu iria gostar da “intervenção”.

    Prazer, Roberto! Não és mirim, não… O Bloghetto já é fã.

    Aconteceu ‘conforme assim’: aguardávamos mesa num restaurante simplérrimo, de colônia de pescadores, praticamente à beira d’água, daqueles em que você come, tira uma reta até o marzão, vê o sol se pôr…
    A moça avisou que seríamos os próximos e nos conduziu.
    _ Só um minutinho, deixa eu limpar a mesa.
    Pegou a piaçava com que varria o chão e tchun!
    A gringalhada que nos acompanhava chegou a arregalar os zoinho: WOW!

    Um dos melhores peixes fritos que comi na vida.

    Zé, que o Caçapa não nos leia. Falta de sepicía, né?

    Beijocas e obrigada a você e Roberto.

  8. Obrigado, minha gente querida.
    Como diria Gil, este samba vai, para Adoniran Barbosa, Maria Helena Rubinato, Selma Barcellos, Luiz Barcellos, o netinho a caminho, e toda a galera do Bloghetto, aqui presente; (sotaque baiano, por favor) é Paulim, é Sophie, é Antonio Carlos, é Fê, é Matide, é Tita, é Berê, é André .,, e quem mais vier a me dar a subida honra.

    Nossa querida Maria Helena já conhece essa “pérola falsa” do nosso cancioneiro amador.
    Nós a dedicamos à memória de Adoniran e mandamos para ela, há uns dois ou três anos.

    Sou tão bobão que há mais de quatro anos continuo achando graça neste sambinha. Os pontos principais da letra foram, de fato, escritos num bar, com violão.
    Imaginem o clima: Quando me ocorreu o “afora os micróbio que a gente não enxerga, mas sabe que existe…” tivemos que parar tudo para rir… Mas rir muito, gente! Rir de chorar…
    Íamos, bastante, num outro bar (Bar do Periquito) que fazia questão fechada que este samba fosse cantado. De preferência, trocando o “Caçapa” pelo “Periquito”, que era ele… Aí, para não atropelar a divisão métrica, e a saída era pronunciar “Priquito”…
    E tome mais gargalhadas… “Pe-la-mô de Deus Priquito…”
    Como as coisas simples nos tornam, às vezes, tão caras, não é gente!

  9. Zé, dia terminando agora e nem podendo terminar (tô um caco..rs…)…venho aqui pingando de sono oferecer flor prá você comprar….”adorei demais” a música, a letra, o Roberto (compra uma flor prá ele)….buenas noches, Zé…

  10. Esse Zé é demais. Cheguei agora e já ia para minha varanda para tomar umazinha. e antes uma olhada no bloghetto e vejo essa maravilha Me inspirei e vou sair de novo para procurar esse tal de Caçapa. Amei, cara. Não me enganei: Esse Zé , amigo do Caçapa, é amigo do mundo. Mande um beijo para o Roberto. Essa da água solitária que colocação maravilha no final do samba,e sem medo de falar chamo de “samba causo”.
    Está convidado para sair, ano que vem, na Em Cima da Hora…o enredo é “os sertões”. ..vamos sair na ala dos compositores.
    Obrigado Zé.

  11. Berenice
    Aqui perto, faz tempo, tinha o bar do Moraes. A unha do dedo mindinho do Morares era comprida e ele a usava para passar manteiga no pão…juro….a famosa média com pão e manteiga, orgulho nacional , no Moraes era assimmm

  12. “Anão”, Paulinho! hahahaha…o “anão”, querendo dizer “ah, não!” é a linguaguem usual facebookquiana…rs…(tem o “aném” também – horror, horror…rs…).

    Unha comprida de dedo mindinho num encaro, não! Unha suja vá lá, mas, passar manteiga com unha comprida de dedo mindinho? Tô fora…rs…que horror, Paulinho! rs…

  13. “Arrilia” no coração e na mente sinto eu quando não ando de barquinho..rsrs..
    E que surpresa agradável! O cronista é letrista dos bons!
    Adorei, José do Carmo e Roberto!

  14. Já escutei um monte de veiz
    Escutei mais uma veiz
    E óia nóis aqui otra veiz
    Pra dizer desta veiz
    Pro Zé & Roberto
    que essa dupla deu certo
    nós viramo fregueis
    e queremo ela mais veiz
    ao menos uma vez por meis.

  15. Cumpadi Antonico!

    Tomén pedi tra veiz
    Eles dissero tarveiz.
    Num custa nóis insisti.
    Par de gêmi de fera…
    Quem avéra de resisti?

  16. Olá, Selma; tão legal quanto o samba é esta conversa ed boteco dos comentários; só aqui mesmo!
    Abç,
    Adh

Deixe um comentário