O Senhor Quase

Tenho conhecido muitos Senhores Quase.

O Senhor Quase está em todas as profissões e em todos os lugares. Ou quase.

São essas pessoas que quase escalaram o Everest, quase ganharam o campeonato mundial de bocha, quase atravessaram a nado o Canal da Mancha, quase pescaram um peixe de duzentos quilos, quase se formaram em Medicina, quase se tornaram sacerdotes, quase casaram com a Miss Brasil, quase aprenderam alemão ou grego, quase receberam o prêmio maior da loteria, quase foram eleitos senador.

Afinal, o Senhor Quase, quase somos todos nós.

O Senhor Quase bebe moderadamente, mas às vezes se embriaga, lembrando que quase foi tudo. Quase também deixou de fumar.

O Senhor Quase escreve, e tem um romance na gaveta, quase terminado. Uma obra que se chegar a concluir, será uma obra-prima que revolucionará a literatura universal. Ou quase.

É quase católico, porque ainda tem as suas dúvidas.

E de quase em quase, o Senhor Quase vai vivendo, num país que é quase.

 Antonio Carlos Augusto Gama (Quase)

7 ideias sobre “O Senhor Quase

  1. Gostei e muito. Me vi!!!!

    na escola tinha um colega com o apelido de Fernadinho Quase Quase. Quase se formou. Tinha também o Quase Feio, na realidade era feio totalmente. No bairro tem um cara que para dizer que não faz nada, tanto coisas uteis como inúteis, se desculpa com seus quases.

    Sou um pouco quase. Quase fiquei rico e no contraditório quase fiquei pobre. Quase adoeci ou adoeço. quase escrevi livros e quase acabei meu livro de poemas engavetados. Quase dei um jeito nos mal-feitos e nos bem-feito. mas quem manda ser um quase e quem não é?

    De todos os quase , um me incomoda, quando digo, em alto e bom tom: Quase fiz algo que não deveria deixar de fazer.

    Outro me substancia. Quando encontro uma antiga amiga e digo: Quase te namorei. Vontade não faltou.

    -Não sabe o que perdeu.

    “A timidez é a ferramenta dos quasistas”

  2. – Muito boa a crônica de hoje do Antônio Gama. Sem dúvida, há verdades no divertido texto em questão, entretanto, na vida real há, também, situações em que o “quase” termina por ser benéfico a quem “quase chegou lá”, justamente por haver ficado tão perto do objetivo sem alcançá-lo. Isso termina por transformar o candidato a alguma coisa, em um obstinado, e a convencê-lo, de que, da próxima vez, ele terá todas as chances de conseguir seu intento, de botar a mão na taça. Vejamos um exemplo verdadeiro: tenho uma boa amiga que decidiu ingressar em uma carreira jurídica oficial. Na primeira tentativa, para juíza do estado, na Bahia, quase. Na segunda tentativa, em Goiânia, também para juíza do estado, quase. Na terceira, no Rio, para o ministério público, quase. Na quarta, para o ministério publico federal, em Brasília, quase. Na quinta, para o ministério publico federal, em São Paulo (atenção! que rufem os tambores!), foi aprovada em segundo lugar! Hoje é uma brilhantes procuradora do MPF.

  3. O “quase” que nos empurra para a realização é o mesmo que nos decepciona vida afora.
    Muito bom, Gama.

Deixe um comentário