Sobre Selma

face de selma couri barcellos

Fui menina em  Niterói (RJ), cidade à beira-mar plantada.

Desde sempre me fascinou a palavra,  a redação a partir daquelas imensas e coloridas gravuras postadas à frente da classe (ainda as guardo, todas, na retina e na memória), a leitura do texto pronto em voz alta…

Moleca ainda, mal chegavam as visitas,  vestia correndo a bailarina e recitava poesias. A bem da verdade,  algumas visitas nunca mais voltavam, mas eu ficava em estado de graça…

Formei-me em Jornalismo e Relações Públicas pela PUC/RJ e UnB/DF.

Porém, seguindo um pensamento de Confúcio, escolhi um trabalho que amei. E não precisei trabalhar um só dia de minha vida.

Sim, exerci o magistério por mais de 25 anos.  Por puro prazer, de forma apaixonada, respirando poesia porque lidei com crianças, criaturas poéticas em sua essência, viajando e acreditando na força encantatória e transformadora da palavra.

Em 2004, fui agraciada com o 1º lugar no Concurso de Redação para Professores da Academia Brasileira de Letras e do jornal Folha Dirigida. O tema, sugerido pelo poeta Ivan Junqueira, então presidente da ABL,  foi “Por que Poesia em tempos de indigência?”.

Atualmente, enquanto aguardo os netos que me darão os dois filhos, seres adoráveis, tão diversos quanto únicos, escrevo crônicas, ensaios , poemas, pinto quadros…

E agora, com este blog, irei partilhar memórias, experiências, reflexões.

Vem comigo?